"Mesmo que os meus versos nunca sejam impressos, Eles lá terão sua beleza, se forem belos." (FERNANDO PESSOA)

SEBO ARILOQUE

SEBO ARILOQUE
Encontre aqui seu livro!

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

CRÔNICA PARA DOIS E A NOITE QUENTE




Na disposição dos corpos ao chão, jogados
Cobertos do cansaço de um trabalho afoito
Com goles de chá e repetições de coito
Estão personagens, ensaiando seus atos.

Deitam-se como amantes, desejosos, entorpecidos!
Conversam como amigos, sobre histórias e linguagens,
E despedem-se como estranhos, carregando as imagens,
Das fantasias e fatos, deveras, vivenciados.

(06/02/2007)

Um comentário:

Costuro o infinito sobre o peito.
E no entanto sou água fugidia e amarga.
E sou crível e antiga como aquilo que vês:
Pedras, frontões no Todo inamovível.
Terrena, me adivinho montanha algumas vezes.
Recente, inumana, inexprimível
Costuro o infinito sobre o peito
Como aqueles que amam.

Hilda Hilst

Postagens populares

LICENCIADO CC

Licença Creative Commons
PESCADOR DE PENSAMENTOS de Adriano C. Tardoque é licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 Unported.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.facebook.com/adriano.tardoque.