"Mesmo que os meus versos nunca sejam impressos, Eles lá terão sua beleza, se forem belos." (FERNANDO PESSOA)

SEBO ARILOQUE

SEBO ARILOQUE
Encontre aqui seu livro!

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FRUTOS E VERBOS


Que os frutos do meu coração sejam maduros e suculentos.
Que minha alma se perca todas as vezes que se encontrar.
Que meu corpo me conduza em todos os momentos,
Que o verbo se fizer carne na conjunção de amar.

domingo, 30 de dezembro de 2012

NÃO ANDARÁS... LEMBRA.


Quando
me faltam
às pernas,
caminham
infindavelmente 
às ternas
memórias
que saltam
fortes e
impreterivelmente
às eternas 
lembranças
voltam
sensivelmente:

Todas foram, todas ficaram.
Deixaram algo, também levaram.
Umas amor, outras felicidade,
dor, tristeza ou saudade.
E voltaram,
e passaram.


sábado, 29 de dezembro de 2012

EXPRESSÃO ERÓTICA DE UM SENTIMENTO PLATÔNICO - PÁGINA 3, 1995

1995 - Recorte de Jornal e Pornopoesia de um jovem apaixonado para sua musa 
"Batidas sincronizadas
fodendo meu 
pensamento,
com o tesão
e o movimento,
que eu te fodia
em fantasia. Toques
suaves, forte aperto.
Gritos e loucuras,
com o acerto.
Sua bunda, suas costas...
Como são belas!
Bato forte meu peito
e ventre, indo de
encontro
à elas."

(1995)

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

NO SOUL



Este d'alma ausente, sou Eu.
Vivendo para ver as coisas acontecerem,
no fio da razão que não ilumina,
um corpo sem aparência.
Eu chamo minhas sensações ,
como se elas tivessem vidas próprias.
Vejo o que é real:
o caminho segue tortuoso,
em direção a mim mesmo. 

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

ACUMULADOR EMBEVECIDO


Enlouquecido?
Apenas deixei
as portas abertas
e tornei-me
sagaz acumulador.
Costurei pensamentos
enrolei desejos
com barbante
forte e incolor.
Inverti os dias
do calendário,
invoquei a fé
do Bispo do Rosário,
que em ditado
propôs num instante,
que eu fosse mais um amante,
da divindade que a arte
em mim plantou.
Enlouquecido?
Embevecido!
Costuro o infinito sobre o peito.
E no entanto sou água fugidia e amarga.
E sou crível e antiga como aquilo que vês:
Pedras, frontões no Todo inamovível.
Terrena, me adivinho montanha algumas vezes.
Recente, inumana, inexprimível
Costuro o infinito sobre o peito
Como aqueles que amam.

Hilda Hilst

Postagens populares

LICENCIADO CC

Licença Creative Commons
PESCADOR DE PENSAMENTOS de Adriano C. Tardoque é licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 Unported.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.facebook.com/adriano.tardoque.