"Mesmo que os meus versos nunca sejam impressos, Eles lá terão sua beleza, se forem belos." (FERNANDO PESSOA)

SEBO ARILOQUE

SEBO ARILOQUE
Encontre aqui seu livro!

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

ATIRA UMA PEDRA OU DRUMMOND PARA COLÉRICOS


No fim do caminho atira uma pedra
Atira uma pedra no fim do caminho
Atira uma pedra.
No fim do caminho atira uma pedra.

Sempre me lembrarei deste acontecimento
Na vida dos meus olhos tão cansados.
Sempre me lembrarei que no fim do caminho
Se atira uma pedra
Atira uma pedra no fim do caminho
No fim do caminho atira uma pedra.

sábado, 28 de setembro de 2013

QUARTO-MINGUANTE


Vem
da pele
o quarto
outrora
crescente
tornado
minguante
sempre
que avante,
rememora.
Antes
fosse
pelo
menos,
somente
imagens
de prazer
delirante
e não também
viagem
presente
inquietante. 

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

SAUDADE MATAR OU QUINTA-FEIRA



Chegar
Encontrar
Beijar
Abraçar.
Falar
Calar
Opinar
Escutar.
Esfomear
Sentar
Jantar
Espreguiçar.
Juntar,
Deitar,
Acariciar,
Brincar.
Despertar
Entrar
Empolgar
Gozar!
Amar...

terça-feira, 10 de setembro de 2013

A MINHA DOR DE AGENOR


Eu já sei o que minha alma abriga
Nestas noites frias de inverno
E me dou conta que não mais me importo
Em bater outras vezes nas portas do inferno

Eu ando tão mal...
Eu ando tão mal.




segunda-feira, 9 de setembro de 2013

VERBOS E CODINOMES


Crescer
com as minhas
barbas,
e nelas
se acender,
pelo atrito
infinto...
Criar verbos
com nomes
codinomes
comigo,
consigo,
conseguimos.
Ser voz
ser prosa
que goza
a sós,
em nós,
nus,
embaraços,
de pernas
e braços.
Palhacear
a si
a ti
a mim
assim,
assim...

Imagem: 1884-86 Woman Combing Her Hair - Edgar Degas
Costuro o infinito sobre o peito.
E no entanto sou água fugidia e amarga.
E sou crível e antiga como aquilo que vês:
Pedras, frontões no Todo inamovível.
Terrena, me adivinho montanha algumas vezes.
Recente, inumana, inexprimível
Costuro o infinito sobre o peito
Como aqueles que amam.

Hilda Hilst

Postagens populares

LICENCIADO CC

Licença Creative Commons
PESCADOR DE PENSAMENTOS de Adriano C. Tardoque é licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 Unported.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.facebook.com/adriano.tardoque.